Meu pet está morrendo ou morreu… e agora?

Perder um pet, sempre é muito dolorido e passamos por um tempo chamado luto, período que nos adaptamos com a ausência daquele Ser que tanto amamos. As reações são das mais inesperadas… Pode se entender a perda de uma forma natural, principalmente quando estávamos lidando com doenças crônicas e terminais, ou crises de depressão intensas com uma desorientação da vida, somatizados com raiva e revolta por estar passando por tanta dor, além da culpa, irritabilidade, vazio, solidão e saudade.

Todos nós que temos pet, iremos passar um dia por todos esses sentimentos, porém o problema começa, quando esse período de luto se entende a mais do que o normal e tornando – se patológica onde começa a atrapalhar as rotinas da vida, como emprego, convivência com familiares e amigos, e deve – se pensar na necessidade de procurar uma ajuda profissional.

Já é sabido que o Pet substitui relações entre homens em nossa sociedade, e daí o luto da perda de um pet, muitas vezes não é entendido pela nossa sociedade, dificultando muito mais, a pessoa passa a se sentir incompreendido pela sociedade e pode piorar, porém é importante que a dor seja verbalizada.

Médicos veterinários são muito importantes e todo o processo, e deve buscar conhecimento da psicologia humana para lidar com tais situações. Chega o momento que veterinário faz todas as manobras para manter a qualidade de vida do pet, porém… Quando nada mais poderá ser feito… A eutanásia passa a ser uma opção de alívio do sofrimento tanto do pet quanto da família, porque a dor sem cura não tem justificativa!!

Amar também é abrir mão, liberá lo de um sofrimento continuo!! É claro que muitas vezes o tutor pensa… Será que estou fazendo a escolha certa??? Mas pense … doença crônica terminal com sofrimento… Até quando?? Vale a pena?? E se fosse você nessas circunstâncias, você sofrendo e sua família sofrendo??? Se pudesse escolher em parar com sofrimento… qual seria sua escolha??

Então quando chega a hora de parar… O que precisamos nos preocupar??
Infelizmente a primeira escolha é saber se você deseja fazer um enterro, cremação com devolução das cinzas, ou cremação pela prefeitura.

Depois imagino que você tenha um médico de confiança que acompanhou todo o processo e analisou que de fato chegou a hora do descanso. Sugiro que escolha o último horário da clínica, que o médico tenha amor pelo seu pet e o fará uma anestesia com medicamento de ponta que fará com que o pulmão e coração pare de funcionar sem nenhuma dor ao animal, e que por mais dolorido que seja ao tutor, que o mesmo esteja junto no último suspiro, porque lhe dará a sensação de que o pet não sofreu e que você fez a escolha certa!!

E depois… aaaaaaaaaaaaa depois… Difícil prever!! A saudade e ausência irá acontecer, mas sabemos que ninguém é imortal e que infelizmente passaremos muitas vezes por situações semelhantes em nossas vidas.